quinta-feira, 18 de novembro de 2010

RESENHA DO LIVRO: A Educação Para Além do Capital

Qual sentido tem a educação na nossa vida? Se pensarmos na educação como uma maneira para mudarmos de vida, a educação se torna uma mera mercadoria do sistema capitalista. O livro de István Mészáros sugere uma educação além dessa visão.
O livro foi feito na forma de um ensaio para a abertura do Fórum Mundial de Educação de Porto Alegre, em 2004, propõe uma educação para a vida. Mészáros nasceu em Budapeste, estudou no Liceu Clássico e começou a trabalhar já aos doze anos. Na Universidade de Budapeste quase foi expulso por ter defendido publicamente Georg Lukács, que anos depois o nomeou como assistente no Instituto de Estética da Universidade de Budapeste. Participou ativamente dos debates culturais e literários da época. Editou a revista semestral da Academia de Ciências, “Magyar Tudomány”, e a revista mensal “Eszmélet”. Assumiu as aulas inaugurais sobre estética até abandonar o país por causa da invasão soviética na Hungria. Mészáros trabalhou na Universidade de Turim, no Bedford College da Universidade de Londres, em seguida na Universidade de Saint Andrews e mais tarde na Universidade de Sussex. Lecionou na Universidade Nacional Autônoma do México e foi nomeado professor de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade de York. Em janeiro de 1977 retornou à Universidade de Sussex, onde recebeu o título de Professor Emérito de Filosofia. Ganhou prêmios como “Attila József” por seu estudo sobre Vörösmarty, Memorial Isaac Deutscher por “Marx: a teoria da alienação” e “Lukács”. Eleito membro da Academia Húngara de Ciências, recebeu o título de Pesquisador Emérito da Academia de Ciências Cubana. Autor de vários livros que tratam da sociedade, da alienação, da liberdade e da educação e do poder da ideologia, muitos publicados no Brasil.
Em um texto breve e claro, o autor pondera o papel da educação e suas possíveis contribuições na mudança social, bem como na manutenção da sociedade. Faz uma retrospectiva histórica das ideias que orientaram as políticas educacionais no capitalismo, recorrendo principalmente aos argumentos de Marx. 
Mészáros começa afirmando que uma reformulação da educação é inconcebível sem uma transformação do quadro social, isto é, não tem como mudar a escola sem alterar a estrutura do sistema capitalista. E para ele essas estruturas são irreformáveis e incorrigíveis, pois seria necessário romper com a lógica do capital para termos uma educação diferente da atual, ou seja, mudar o sistema político vigente.
O autor crê que apenas a conscientização e ações coletivas dos indivíduos poderão livrar a população dessa situação “paralisante”, pois ele vê a educação como uma questão de ‘internalização’, isto é, um processo complexo cuja educação faz parte. Discute como pensar a sociedade tendo como parâmetro o ser humano. Estabelece a superação da lógica desumanizadora do capital, que tem no individualismo, no lucro e na competição os seus fundamentos. Alimenta que a educação deve ser sempre continuada, permanente, ou não é educação.
Mészáros também defende a vivência de práticas de educação que admitam aos educadores e alunos trabalharem as mudanças necessárias para a construção de uma sociedade na qual o capital não explore mais o tempo de lazer, pois o que as classes dominantes estabelecem é uma educação para o trabalho alienante, com o objetivo de manter o homem dominado. Já a educação libertadora teria como função transformar o trabalhador em um agente político, que pensa, age, e usa a palavra como arma para transformar a realidade.
A educação para além do capital pode ser visto como um convite a admitirmos nossa classe de indivíduos capazes de escrever nossa história, basta para isso, sair do mundo alienado e não esquecermos que a escola não é o nosso único lugar de aprendizado, pois aprendemos a todo o momento e em todo lugar. E isso nos faz pensar qual a escola e qual sociedade queremos para o futuro.

Referências bibliográficas:

Disponível em: http://www.meszaros.comoj.com/?q=node/4, acesso em: 02/10/2010.

Disponível em: http://resistir.info/meszaros/meszaros_educacao.html, acesso em: 02/10/2010.


Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/%0D/es/v27n97/a16v2797.pdf, acesso em: 02/10/2010.

Disponível em:
http://www.unisinos.br/publicacoes_cientificas/images/stories/pdfs_educacao/vol12n2/res_01.pdfh, acesso em: 02/10/2010.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário